sexta-feira, 6 de outubro de 2017

É LEGAL INVADIR DOMICÍLIO EM CASOS DE MAUS TRATOS A ANIMAIS?





Segundo o artigo 32, da lei 9.605 de 1998, é crime praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais. Uma das piores coisas que o homem ainda faz é mal tratar um animal, um ser que não pode se defender e não tem como denunciar. É comum ver vídeos na Internet, mostrando cenas de terror e medo do animal. E qualquer pessoa pode denunciar, apesar de não ser simples e muitas vezes não ter o resultado que esperamos.

Todas as pessoas que gostam dos bichinhos se iram quando veem um animal sendo mal cuidado. O bichinho precisa ter no mínimo alimento e abrigo, mas também atenção e convívio com as pessoas onde mora. Muitas vezes presenciamos um animal preso na corrente por muito tempo e ao perceber essa situação não podemos denunciar pois não é considerado maus tratos, apenas se estiver além de amarrado, sem abrigo para sol ou chuva ou sem alimentação.




Cada região deve ter um órgão competente em que possa ser feita a denúncia, e é fundamental gravar vídeos das situações de maus tratos ou fotos comprovando a negligência. Pois, quando o órgão chegar ao local pode não encontrar a mesma situação presenciada em outro momento. É preciso ter provas.

Muitas vezes as pessoas ligam para a polícia realizando a denuncia, mas em muitas cidades eles não auxiliam nesses casos, embora os policiais sejam capacitados para atender esse tipo de chamado. É preciso conhecer o artigo 32 e mostrar as autoridades que sabemos que se trata de um crime. E após fazer o boletim de ocorrência, o que acontecerá com o animal é mais um problema a ser solucionado pois o estado não retira o animal e nem tem como se responsabilizar por ele.

Na maioria dos casos quem acaba se responsabilizando são as protetoras independentes. E todo este processo é muito demorado, ligar para a polícia, ir à delegacia, fazer o BO, iniciar as investigações para que se inicie o processo, mas vale a pena. Na maioria das vezes o agressor é apenas condenado a serviços comunitários ou pagamento de cestas básicas. A culpa é das leis que permitem que a pena seja minimizada, em alguns casos.


A Constituição (art. 5º, XI) e as Leis (art. 150, § 3º, II do Código Penal – CP e, ainda, arts. 301 a 303 do Código de Processo Penal – CPP) determinam que em caso de FLAGRANTE DELITO decorrente da prática de CRIME (a exemplo do crime de maus-tratos, na forma do art. 32 da Lei nº 9.605/98 – Crimes Ambientais) a casa pode ser invadida a qualquer hora do dia ou da noite para libertar o animal em aflição. Ou seja, qualquer pessoa tem o direito e a polícia tem a obrigação de ingressar no local e resgatar o bicho em sofrimento. O STF entende até que a polícia pode invadir local sem mandado judicial a qualquer hora do dia ou da noite para coletar provas, desde que haja flagrante delito no local (como é o caso do crime de maus-tratos a animais) e estejam presentes razões plausíveis para a tomada dessa medida, devendo ser justificada posteriormente em processo próprio, tendo em vista que, o pedido de uma liminar para resgate do bicho demora e pode custar a vida do animal.

O invasor que socorreu o animal não sofrerá nenhuma retaliação policial ou judicial, pois agiu em nome da lei para proteger uma vida em perigo de morte. Não esquecendo que toda ação deve ser filmada e fotografa, para garantir esses direitos.

Sabemos que o papel da polícia civil e militar é importantíssimo, mas muitas vezes eles tem a orientação ultrapassada de que, sem o mandado judicial, torna-se impossível prestar socorro ao animal. São muito comuns os casos de insensibilidade e a autoridade policial, ao ser acionada, não se envolve, apesar da Constituição Federal permitir o arrombamento da casa ou do local onde esteja detido o animal quando das hipóteses de prática de fragrante delito (Art. 5º, XI), que só poderá efetivamente ser averiguadas com a pronta e eficaz intervenção.

Dispõe o Art. 225, § 1º, VII: “Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações” e que “Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao poder público: VII – proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade”.

O Art. 32 da Lei 9605/1998 prescreve: “Praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos; Pena: detenção de três meses a um ano, e multa. O Decreto Federal 24.645/1934 dispõe no Art. 3º: Consideram-se maus tratos: I – praticar ato de abuso ou crueldade em qualquer animal; II – “manter animais em lugares antigiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar e luz”

Diante de impossibilidade de comunicação com o proprietário do imóvel a tempo de poupar o animal do sofrimento e/ou da morte, deve ser cumprido o dispositivo constitucional, para abrir a porta da casa em que estiver o animal, adotando providências acautelatórias como: abrir a porta da casa com um chaveiro para depois fechá-la, fazê-lo na presença de três testemunhas, lavrar um termo no local retratando as condições em que se encontrava o animal, comunicar à circunscrição policial e levar o bicho a uma clínica veterinária, evitando-se assim, a configuração da violação de domicílio (Art. 150, CPB).

Se preciso, tenha em mãos a lei, não deixe que um animal sofra maus tratos por má vontade de ajudar de alguns órgãos. Agradeça aos órgãos competentes de sua cidade que auxiliam nesses casos, pois realmente é muito difícil. Seja a voz de quem não sabe se defender!

Gostou do conteúdo? Curta nossa fanpage, siga-nos no Instagram e receba dicas e notícias nas redes sociais.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

HOJE É DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS, COMEMORE!!!






Em 1931, durante um congresso ambiental realizado na cidade de Florença, na Itália, ficou decidido que todo dia 4 de outubro seria comemorado o Dia Mundial dos Animais, uma forma de celebrar a vida de todos os animais.

A decisão dos congressistas pelo dia 4 de outubro não foi por acaso. Na mesma data, a Igreja Católica comemora o Dia de São Francisco de Assis, conhecido por demonstrar preocupação com os animais e com o meio ambiente. Giovanni di Pietro di Bernardone – nome verdadeiro de São Francisco de Assis – viveu entre 1182 e 1226.

Embora quase todas as comemorações pelo Dia Mundial dos Animais envolvam apenas cães e gatos, em nenhum momento foi especificado pelos criadores da data que deveria ser assim. Ao contrário, eles deixaram esse dia como uma homenagem a todos os animais. Isso inclui vacas, porcos, coelhos, ovelhas, peixes, frangos e todos os outros animais de outras espécies que dividem conosco este planeta.

Quer respeitar todos os animais? Comece sendo vegano: www.sejavegano.com.br

domingo, 1 de outubro de 2017

1ª MARCHA DE PROTEÇÃO E DEFESA ANIMAL DA FUNDAÇÃO MICHEL AMIGO BEIJA FLOR, VENHA PARTICIPAR!!!!


A FUNDAÇÃO MICHEL AMIGO BEIJA FLOR VEM CONVIDAR A TODAS PESSOAS DA CIDADE E ARREDORES A PARTICIPAR DA 1ª MARCHA DE PROTEÇÃO E DEFESA ANIMAL DA CIDADE DE BALSAS -MA, A CONCENTRAÇÃO SERÁ NA PRAÇA DO MERCADO PÚBLICO AS 17:00 HS DO DIA 7 DE OUTUBRO DE 2.017, MÊS INTERNACIONAL DEDICADO AOS ANIMAIS E A PROTEÇÃO ANIMAL MUNDIAL, DEVIDO A SER O MÊS DE SÃO FRANCISCO, CUJA COMEMORAÇÃO OCORRE DIA 4 DE OUTUBRO (DIA INTERNACIONAL DOS ANIMAIS).

A MARCHA SERÁ FACULTATIVO SE VOCÊ LEVARÁ OU NÃO SEU PET, AS CAMISETAS DA FUNDAÇÃO PODERÃO SER ENCOMENDADAS NA MALHARIA ARREMATE OU DIRETO COMIGO NO WHATSAPP (99)981470009, QUEM NÃO PUDER ENCOMENDAR A CAMISETA NÃO TEM PROBLEMA, USE UMA CAMISETA BRANCA OU COM DESENHOS DE ANIMAIS A SUA ESCOLHA, PODERÃO SER LEVADOS CARTAZES, FAIXAS E BALÕES COM FRASES DE DEFESA E PROTEÇÃO ANIMAL, ENFIM FAÇA SUA REIVINDICAÇÃO EM SEU CARTAZ!!!

CONVIDAMOS Á TODOS QUE LEVEM RAÇÃO PARA DOAÇÃO PARA O PROJETO ALIMENTACÃO DA FUNDAÇÃO QUE ESTÁ EM PLENO VAPOR E JÁ ATENDE A VÁRIOS BAIRROS E LUGARES DA CIDADE COM MUITO LOUVOR, PRECISAMOS DE SUA AJUDA PARA ELE SEGUIR ADIANTE. AS PESSOAS QUE LEVAREM RAÇÃO, ESTARÃO CONCORRENDO A BRINDES QUE SERÃO SORTEADOS APÓS A MARCHA.

APÓS A MARCHA, QUE TERMINARÁ NA AVENIDA LITORÂNEA,  FICAREMOS LOCALIZADOS ALI NO MESMO LOCAL DA CÃOMINHADA ONDE FAREMOS VENDAS DE COMIDAS, BEBIDAS, LANCHES E BRINDES CUJO OBJETIVO E ARRECADAÇÃO DE FUNDOS PARA AS AÇÕES DA FUNDAÇÃO, SE VOCÊ NÃO E NOSSO PARCEIRO CORRA E ENTRE EM CONTATO, POIS A PÁGINA E PATROCINADA E TODOS QUE AJUDAM TERÃO SEUS NOMES DIVULGADOS EM NOSSAS  REDES SOCIAIS...

NOS AJUDE A AJUDAR OS ANIMAIS, PARTICIPE DESSA CORRENTE DO BEM!!!

ADRIANA CAVALHEIRO
PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO
(99)981470009

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

LEISHMANIOSE CANINA: SACRIFICAR OU NÃO?


Fernanda Távora Untura in Uncategorized





Você já acompanhou o sofrimento de alguém que teve que sacrificar seu cão por causa da Leishmaniose? Este tem sido um tema que gera muitas discussões e resolvi estudar sobre o assunto para dividir aqui com vocês.



DOENÇA: A leishmaniose é uma doença transmitida através de um inseto, também conhecido como “mosquito palha”. O contágio em cães e no homem ocorre através da picada da fêmea infectada da espécie Lutzomia longipalpis. Os animais picados se tornam reservatórios do parasita, mas é impossível pegar a doença através de qualquer tipo de contato com estes animais como lambidas, mordidas ou carinhos. A leishmaniose é uma doença infecciosa, porém, não contagiosa.

Endêmica em 88 países, ela afeta principalmente áreas pobres, onde o acesso a cuidados médicos é limitado, e se não for tratada leva o animal a morte.
Há dois tipos de leishmaniose: a leishmaniose caracterizada por feridas na pele (tegumentar) e leishmaniose que afeta vários órgãos, sendo que os mais afetados são o fígado, baço e medula óssea (calazar).

PRINCIPAIS SINTOMAS: O aparecimento dos primeiros sintomas da Leishmaniose, após a transmissão pela picada pode demorar semanas ou até alguns anos; cerca de 20% dos animais infectados podem nunca manifestar sintomas. A maioria dos animais aparenta estar saudáveis na época do diagnóstico clínico, mas quando desenvolvem a doença podem apresentar os seguintes sintomas:
Apatia (desânimo, fraqueza, sonolência);
Perda de peso e/ou falta de apetite;
Anemia;
Feridas na pele, principalmente no focinho, orelhas, articulações e cauda (que demoram a cicatrizar);
Pêlos opacos, descamação e perda de pêlos;
Crescimento anormal das unhas (onicogrifose) com o avanço da doença;
Aumento abdominal (“barriga inchada” pelo aumento do fígado e do baço);
Problemas oculares (olho vermelho, secreção ocular);
Diarréia, vômito e sangramento intestinal.

DIAGNÓSTICO: O diagnóstico da leishmaniose canina deve ser realizado por um clínico veterinário, que deve considerar três fatores: o exame epidemiológico, o exame clínico, e exames laboratoriais.

A técnica para o diagnóstico não é excepcionalmente sensível e pode descrever falsos positivos ou mascarar falsos negativos. Com isso, faz-se necessário a repetição do exame.

TRATAMENTO: O tutor que optar pelo tratamento de um cão deve considerar a condição clínica do animal e estar consciente do procedimento.

Entre os custos, incluem-se medicamentos, serviços veterinários e exames laboratoriais realizados trimestralmente.

RISCOS NA CONVIVÊNCIA DE UM CÃO COM DIAGNÓSTICO POSITIVO:Não há risco para ser humano conviver com o animal infectado. A Leishmaniose como acontece no caso da dengue, é uma doença vetorial e a presença do animal doente em casa simplesmente indica que há presença do vetor naquele ambiente.

O problema é que o animal doente, quando recebe tratamento, fica livre de sintomas, mas não se livra completamente do parasita. Por isso, existe a risco de, mesmo tratado, o cão infectar o vetor e alimentar o ciclo de transmissão da doença.

COMO PREVENIR: Existe uma vacina que mostrou ter eficiência de 95%. Quando o inseto pica o cão vacinado, os anticorpos presentes no seu sangue por causa da vacina se alojam em seu organismo e esses anticorpos impedem que o parasita da leishmaniose complete o seu ciclo de vida. São três doses anuais com o custo médio de R$ 150,00 cada que devem ser dadas com 21 dias de intervalo. IMPORTANTE, antes da vacina é necessário fazer o exame de sangue para ter certeza que o cão não está contaminado. Outra opção é o uso da coleira com repelente da marca scalibor no valor médio de R$ 50,00 e deve ser trocada de 6 em 6 meses.

O mosquito-palha é um inseto bem pequeno e costuma se reproduzir em locais com muita matéria orgânica em decomposição. Portanto, evitar acúmulos de lixo de casa é uma maneira de contribuir para a saúde do meio ambiente e ao mesmo tempo evitar a proliferação dos mosquitos.

SACRIFÍCIO: Adotado desde a década de 1950 no Brasil, o sacrifício de cães tem sido questionado pela comunidade científica pela ineficácia em conter a leishmaniose visceral. A falta de eficácia da medida como política de prevenção pode ser vista a olho nu: em 1990 foram registrados 1.944 casos da doença no país, número que subiu para uma média de 3.500 a partir de 2004 e se mantém nesse patamar até hoje.

A letalidade da doença (taxa que indica a proporção de mortes por número de casos) só aumenta: passou de 3,2, em 2000, para 6,2 em 2011, segundo dados do Ministério da Saúde. Isso significa que, a cada 100 pessoas infectadas, 6,2 devem morrer. (Notícias.uol).

Além de ineficaz, matar os animais pode ter até efeito contrário ao que se espera. Isso porque, durante o rastreamento para eutanásia de cães infectados, muitas vezes são sacrificados também animais que têm o parasita, mas não desenvolvem sintomas. Mortos, eles deixam de se reproduzir e gerar indivíduos resistentes à doença. A longo prazo, sobram apenas cães sensíveis, o que poderia agravar ainda mais o cenário.

De acordo com o Ministério da Saúde, desde 1963, cães que apresentem exames soropositivos para leishmaniose visceral canina devem ser sacrificados. Será este o único caminho a tomar? Acredito que esta atitude não é uma forma de resolver o problema. O ideal é controlar o vetor através de campanhas de conscientização para a população e pesquisas com vacinas. O dinheiro gasto para fazer exames e sacrificar animais poderia ser investido em prevenção. Não devemos recomendar o sacrifício dos cães, assim como não recomendamos a eutanásia de pessoas.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

PREFEITO TEM DE PAGAR PELAS DESPESAS COM ANIMAIS RESGATADOS DE ABANDONO E MAUS TRATOS:


O Controle da População de Cães e Gatos é obrigação do Governo (federal, estadual, municipal)
O município ou estado deve cuidar dos animais implantando Políticas Públicas e investindo as verbas com:
- Campanhas de Castração
- Campanhas de Educação da População para a Guarda Responsável de Cães e Gatos
- Fiscalização e Punição ao comércio de animais
É papel do Governo Federal/Estadual/Municipal evitar o abandono e maus tratos adotando medidas preventivas.


Se o Governo não o faz, deve arcar com as despesas dos que fazem(resgatam, cuidam, vacinam, castram e buscam tutores carinhosos e lares seguros para animais que encontram - vítimas de maus tratos e abandono).

Portanto, quem resgata cães e gatos, está cuidando de animais que pertencem ao Estado e tem o direito de cobrar todas as despesas.
O governo não fará nada além da sua obrigação em ressarcir as despesas de todas as ONGs e protetores, até que cumpra o seu papel e tome as medidas necessárias para o controle populacional destas espécies.



LEIS


DECRETO LEI n° 24.645 de 1934
Art. 1 - Todos os animais existentes no País são tutelados do Estado.
Art. 3 - Consideram-se maus tratos:
I - Praticar ato de abuso ou crueldade em qualquer animal.
II - Manter animais em lugares anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz [...]
Art. 16 - As autoridades federais, estaduais e municipais prestarão aos membros das sociedades protetoras de animais a cooperação necessária para fazer cumprir a presente Lei.
Art. 17 - A palavra animal, da presente Lei, compreende todo ser irracional, quadrúpede, ou bípede, doméstico ou selvagem, exceto os daninhos.
Veja a Lei na íntegra: www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=39567


LEI n° 5.197 de 1967
Art. 1º. - Os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha.Veja a Lei na íntegra: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L5197.htm


CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL de 1988
Art. 225. [...] § 1º [...] incumbe ao poder público: VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.
Art. 131 - A Advocacia-Geral da União é a instituição que, diretamente ou através de órgão vinculado, representa a União, judicial e extrajudicialmente, cabendo-lhe, nos termos da lei complementar que dispuser sobre sua organização e funcionamento, as atividades de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo.
Veja a Lei na íntegra: www.senado.gov.br/legislacao/const/con1988/CON1988_13.07.2010/art_225_.shtm



LEI n° 9.605 de 1998 - LEI FEDERAL DE CRIMES AMBIENTAIS
Art. 32 - Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.Veja a Lei na íntegra: www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9605.htm



www.GATOVERDE.com.br




NOTÍCIA 1

Município é responsável pela guarda de animais abandonados nas ruas
11/11/2010 - 11:57
FONTE: TJSC

A 2ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO DO TJ, EM AGRAVO DE INSTRUMENTO SOB RELATORIA DO DESEMBARGADOR JOÃO HENRIQUE BLASI, DETERMINOU AO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS, ATRAVÉS DO SEU CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSES, QUE DÊ ABRIGO AOS CÃES HOJE ACOLHIDOS PELO CASAL OSVALDO E MARÍLIA DE SÁ.
Os autores do agravo, em verdade, foram impelidos em outra ação judicial, movida por seus vizinhos, a desfazer-se dos animais que mantinham em sua residência, com permissão para manutenção de apenas três deles. Os excedentes, animais abandonados nas ruas em situação de risco, deveriam ser removidos.

Ao procurar pelo Centro de Zoonoses, contudo, tiveram atendimento negado, sob argumento de falta de estrutura e condições gerais para guardar outros cães além daqueles que lá se encontram em situação emergencial.

Para o desembargador Blasi, além da decisão judicial, está claro no comando constitucional que cabe solidariamente ao município a responsabilidade pela proteção da fauna.

“Desse modo, não se trata (...) de simplesmente repassar ao Poder Público local o plantel de cães dos agravantes, mas sim de fazer com que a Municipalidade cumpra o seu papel legal e constitucional de velar pelos mesmos, ademais do que, no caso concreto, mercê de decisão judicial”, anotou o relator.
Agravo de Instrumento 2010.031714-0

http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=visualiza_noticia&id_caderno=20&id_noticia=59767








NOTÍCIA 2

Proteção animal tem decisão judicial sem precedentesPor Valmira de Fátima Bernardino

Em Ilhabela, litoral paulista, a advogada Maria Fernanda Carbonelli Muniz
conquistou na justiça um feito que desperta nos protetores de animais
abandonados a esperança de acabar com o sofrimento dessas criaturas
indefesas.

Dra. Fernanda ingressou com uma Ação contra a prefeitura depois que o
abrigo mantido com muita dificuldade e recursos próprios por Dochiê
Dobrota foi demolido por ordem do governo municipal.

O juiz Sandro Cavalcanti Rollo acolheu o pedido de tutela antecipada e
determinou que os 54 animais mantidos por Dochiê Dobrota fossem vacinados
e castrados no prazo de 45 dias e estipulou multa diária de R$1.000,00
caso a decisão não fosse cumprida.

Dr. Cavalcanti determinou também que a prefeitura providenciasse
mensalmente 750 kg. de ração de boa qualidade para os cães e gatos
mantidos por Dobrota e Sandra Regina Meirinho, autoras do processo.

Para o não fornecimento da ração a multa diária foi estipulada em R
$5.000,00. A prefeitura recorreu da decisão, mas o Tribunal negou o efeito
suspensivo da liminar, e Dr. Cavalcanti determinou que a decisão judicial
fosse cumprida no prazo de 24 horas sob pena de incidência da multa, crime
de desobediência e improbidade administrativa.

O município de Ilhabela fica a 135 quilômetros da capital paulista.
Segundo dados do IBGE tem 23.886 habitantes. Os argumentos do juiz em seu
despacho são contundentes e muito bem fundamentados.

Dentre os fundamentos estão a Declaração Universal dos Direitos dos
Animais, a Constituição Federal e a Lei Estadual 11.977/05, conhecida como
Código de Proteção aos Animais, que prevê que os municípios mantenham
programas permanentes de controle de zoonoses, vacinação, castração de
cães e gatos e ações educativas de posse responsável.

Em seu despacho Dr. Cavalcanti reconhece o trabalho das autoras como de
interesse da dignidade dos animais, da população de Ilhabela e da própria
prefeitura. Em 3 de setembro de 2010 ele foi merecidamente homenageado com
o título de Cidadão de Ilhabela.
---
Para conhecer o Despacho na íntegra acesse
http://www.jornaldaserra.com.br/2Bichos/Ilhabela/Ilhabeladespacho.htm

Copiado do site http://www.jornaldaserra.com.br/2Bichos/Ilhabela/Ilhabela.htm


# # #

Advogados comprometidos com proteção animal -

Alexandre Gaeta Jabaquara São Paulo Telefone 11 7117 0621

OAB Rio de Janeiro E-mail: direitoanimal@bol.com.br

Carlos Brandão Ildefonso Silva – Belo Horizonte E-mail cbiadv@gmail.com

Daniela Corbellini - Cachoeirinha - Grande Porto Alegre RS Telefone 51 3041 1475

Denise Grecco Valente OAB São Paulo Telefone 11 8155 0289

Site http://www.direitoanimal.org E-mail denise@direitoanimal.org / denisegrecco@yahoo.com

Rogério S F Gonçalves - bairro Moóca - São Paulo - OAB São Paulo - Telefone 11 2606 4969 / 9971 4947 Site http://www.direitoanimal.com.br E-mail advrofgo@terra.com.br

Valéria Bruxinho - E-mail bruxino@hotmail.com

Ana Rita Tavares - Salvador BA - Email - anaritatavaresadv@yahoo.com.br

Site www.terraverdeviva.com.br

# # #

Faça um plano para convencer o prefeito de sua cidade a executar o projeto "postos veterinários de proteção aos animas" - Solução definitiva para o sofrimento dos animais abandonados.


Veja como convencer os prefeitos a executar integralmente o projeto postos veterinários de proteção aos animais, participando do movimento Família amigos dos animais... Veja o Manual.... Bem vindos.

# # #

Campanha nacional permanente - “Fecha canil do CCZ - Tortura nunca mais”Eu aderi. (cole o slogan/link no email, blog, seja criativo)

terça-feira, 8 de agosto de 2017

AS GALINHAS SÃO AS MELHORES MÃES DO REINO ANIMAL:





As mães são maravilhosas. E não estamos falando somente das incríveis mulheres que conhecemos, mas também de todas as
fêmeas duronas do reino animal – galinhas incluídas.


O altruísmo e sacrifício da mãe mais dedicada do reino animal

As galinhas são conhecidas por adotar animais e cuidar deles como se fossem seus. Os fazendeiros fazem suas galinhas adotar pequenos pintos o tempo todo. E, em alguns casos, elas cuidam até de filhotes de outras espécies, por conta própria.
Esses animais são irmãos de mães diferentes

Confira abaixo algumas imagens que mostram a variedade de bichos que podem chamar as galinhas de mamãe, incluindo cachorros, gatos, patos, porcos, pombas e até avestruzes: [BoredPanda]











































POR: NATASHA ROMANZOTIEM: 7.08.2017 | EM ANIMAIS, PRINCIPAL | TAGS: MÃE, MÃES, MATERNIDADE, REINO ANIMAL

sexta-feira, 21 de julho de 2017

9 ANIMAIS QUE PROVAM: NÃO SÓ OS HUMANOS PODEM SER HERÓIS!!!


Mesmo quando parece que já sabemos tudo sobre os animais, eles não param de nos surpreender com atitudes que nem todos os humanos seriam capazes de tomar.

O Incrível.club quer compartilhar com você as mais inspiradoras histórias sobre animais, que demonstram que todas as criaturas do mundo podem cometer atos de solidariedade, transformando nosso mundo num lugar melhor.

Golfinhos resgatistas




© Facebook


O norte-americano Todd Endris tinha só 24 anos quando encarou um perigo mortal.

O jovem surfava em mar aberto quando notou que havia virado alvo de um tubarão. No começo, o predador marinho tentou agarrar Todd, mas não conseguiu e mordeu a prancha, fazendo com que o surfista perdesse o equilíbrio. Durante alguns minutos, o rapaz tentou permanecer na superfície e afugentar o animal, mas uma ajuda inesperada chegou de repente.

Um grande número de golfinhos cercou o surfista, impedindo que o agressivo tubarão se aproximasse. Assim, acompanhado por golfinhos, Todd conseguiu chegar à praia, onde recebeu os primeiros socorros.

O elefante Ning Nong




© BBC


Em 2004, Amber Mason, de 8 anos, passava as férias com seus pais em Phuket, Tailândia. Numa praia local, a menina frequentemente montava no jovem elefante chamado Ning Nong. Felizmente, quando o grande tsunami atingiu o litoral, Ning Nong estava levando Amber a mais um passeio.

A água cobriu parte do corpo do elefante, mas ele seguiu caminhando até que ambos saíram da água. Até hoje, a mãe de Amber lembra de Ning Nong com gratidão, e diz que aquele elefante se mostrou mais forte que qualquer outro elemento da natureza.



O gorila Jambo




© Pixabay


Em 1968, num zoológico da ilha de Jersey, aconteceu um acidente: um menino de 5 anos caiu no espaço dos gorilas e desmaiou. As consequências poderiam ter sido muito trágicas se o gorila Jambo não tivesse corrido para socorrer o garoto.

Jambo cuidou do pequeno, mantendo-o a salvo dos outros gorilas agressivos, até que as pessoas chegassem para ajudar. Ao verem os veterinários e demais funcionários do zoológico, os animais deram passagem e permitiram o salvamento do menino.

A gata Winnie




© Pixabay


Há quem acredite que os gatos não estão entre os pets mais leais. Só que esta história vai desmentir para sempre este mito. Uma noite, Cathy Kiesling acordou com o barulho que fazia sua gatinha Winnie na tentativa desesperada de acordar sua dona. Cathy se sentia fraca e zonza, mas ainda assim conseguiu ligar para o serviço de emergência.

A bomba de água, que funcionava com motor à gasolina e ficava no sótão da casa, quebrou, transformando-se numa fonte de gás mortal que poderia ter matado toda a família durante a noite.



Lulu, a heroína




© thepetnetwork


Quando JoAnn Altsman, do Canadá, teve uma parada cardíaca, ela estava sozinha em casa com seu cão e a porquinha Lulu, que tinha sido resgatada por JoAnn em um matadouro. Ao ver que a sua dona precisava de ajuda, o cachorro começou a latir e Lulu, sem demora, saiu até a rua e ficou sentada até que um carro passou pelo local.

O motorista seguiu a porquinha, que tinha um comportamento muito estranho, e viu JoAnn desfalecida. O homem chamou uma ambulância e, assim, resgatou salvou a vida da mulher. Lulu virou uma heroína local e ganhou uma medalha por sua bravura.




A cabra australiana Mandy




© Pixabay


Um belo dia durante sua rotina de trabalho, o fazendeiro australiano Noel Osbourne caiu num monte de esterco e quebrou alguns ossos, ficando impossibilitado de se mover. Ele esperou dias até ser encontrado. Durante esse tempo, a cabra Mandy não se afastou do dono, aquecendo-o com o calor do seu corpo e alimentando-o com seu leite.

O papagaio Willie




© Pixabay




A organização “Cruz Vermelha“ entregou uma medalha de honra ao papagaio Willie. A cerimônia de entrega da homenagem contou com a presença do prefeito e do governador do Estado. Vários jornais dos EUA publicaram notícia sobre o fato.

A história é a seguinte: Willie vivia na casa de Megan Howard, que trabalhava como babá. Naquele dia, Megan tinha em casa uma menina de 2 anos. Enquanto a menina tomava café da manhã, a babá saiu da cozinha por um momento. Foi quando a pequena se engasgou e não conseguia respirar. Willie, que estava por perto, começou a gritar: ”Mama! Baby!“ (“Mamãe” Bebê!”).

Ao ouvir os gritos do animal, Megan entrou correndo na cozinha e salvou a menina usando a manobra de Heimlich — indicada para socorrer engasgos fatais. No entanto, a babá sempre disse que o verdadeiro herói é Willie. E nós concordamos com ela.

Baleia-branca




© youtube




A chinesa Yeng Yan participava de uma competição de apneia, realizada no aquário Polar Land, da cidade de Harbin. Ao mergulhar a uma profundidade de 4 metros, a mulher sentiu cãibras numa das pernas, ficando incapaz de voltar à superfície. Quando a participante começou a ficar sem ar e estava quase desmaiando, algo incrível aconteceu.

"Me sentia fraca, quando percebi uma força desconhecida me empurrando para cima", lembra Yeng. Era uma baleia-branca que tinha decidido ajudá-la. Se não fosse pelo animal, talvez a história tivesse acabado de forma triste, pois o público que acompanhava o concurso achava que tudo estava indo bem, e que a mergulhadora conseguiria ficar embaixo d’água por muito tempo.

A égua Kerry




© Pixabay


Esta história aconteceu numa fazenda escocesa. Fiona Boyd tentava ajudar um bezerro perdido a encontrar sua família, sem imaginar que a mãe do filhote veria aquilo como uma tentativa de agressão, partindo para o ataque.

Quando a vaca enfurecida partiu para cima da mulher, Fiona começou a gritar, sem esperança de ser ouvida, já que não havia mais ninguém na fazenda naquele momento. Mas quem estava por ali era uma jovem égua chamada Kerry, que imediatamente saiu em ajuda da mulher, contendo a vaca até que Fiona corresse para um lugar seguro. Felizmente, o ataque rendeu apenas alguns arranhões.




Foto de abertura TheRichest
Produzido com base em material de TheRichest


https://incrivel.club/admiracao-animais/9-animais-que-provam-nao-so...